15-08-2018

Esposa de paciente psiquiátrico coloca uma pessoa para seguir seus passos, ainda que isso não tenha sido recomendado pelo médico. Como agir?

A psiquiatra também afirma que fez contato com a esposa do atendido, para esclarecê-la sobre o não benefício desta ação – e ele continua sendo seguido.

Como à época da dúvida esboçada o paciente parecia estar no exercício pleno de sua capacidade de discernimento, reflexão, crítica e decisão, somente a ele caberia tomar providências judiciais quanto ao ocorrido.

Vale lembrar ainda à colega que, entendendo ser o paciente capaz, não deve comunicar-se com seus familiares, sem o consentimento do mesmo.


Resposta baseada no Parecer Consulta  nº 127.922/11, do Cremesp 


Esta página teve 105 acessos.

(11) 4349-9983
cbio@cremesp.org.br
Twitter twitter.com/CBioetica

Rua Frei Caneca, 1282 - Consolação - São Paulo/SP - CEP: 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO - (11) 4349-9900 das 8h às 20h

HORÁRIO DE EXPEDIENTE - das 9h às 18h