21-02-2019

A caixa dos abandonados 

Os mais velhos podem se lembrar de histórias sobre a chamada Roda dos Expostos (também conhecida pelo pejorativo termo “Roda dos Enjeitados”), mecanismo de madeira e de forma arredondada, vindo da época medieval, que possibilitava a doação anônima de bebês por pessoas que não tinham a intenção de criá-los. Ficavam dispostas na entrada de Santas Casas de Misericórdia, como a de São Paulo, onde funcionou de 1825 a 1950. 

Curiosamente, o país mais poderoso do mundo repete agora essa mesma estratégia, em versão high tech: desde 2016, o conceito voltou a se difundir nos EUA, sendo que a sétima caixa destinada a recém-nascidos abandonados foi instalada recentemente em um quartel do Corpo de Bombeiros, no estado de Indiana. 

Está certo que, por fora, o dispositivo lembre mais o local em que se colocam cartas. Mas não se engane: é equipado com reguladores de temperatura e sensores. Assim que um bebê é deixado ali, é acionado um alerta aos serviços de emergência, que acolhem o recém-nascido em menos de cinco minutos. 

Último Recurso 

Conforme Priscilla Pruitt, porta-voz da ONG Safe Haven Baby Boxes, responsável pela iniciativa, corresponde a “um último recurso", cujo objetivo é prevenir as mortes de crianças em situações em que mães –muitas vezes, jovens e inseguras– dão à luz completamente sozinhas, e não conseguem lidar com tal evento. “Não querem ser reconhecidas ou vistas, especialmente em cidades pequenas onde todo mundo se conhece".

Apenas três Estados nos EUA aprovaram leis que permitem a instalação das caixas, a maior parte delas em Indiana. Em Ohio, existem duas caixas, enquanto espera-se instalar outra em Pensilvânia em breve. Em Nova Jersey, há expectativa de que uma lei do tipo seja aprovada em breve.

No entanto, nem todos acham que esta seja uma boa ideia: projeto para implantação das caixas havia sido aprovado pelo senado de Michigan, mas o texto foi vetado pelo governador Rick Snyder, sob a justificativa de que já existem leis e ações governamentais capazes de resultar em acolhimento anônimo e seguro de bebês.

"Não acho apropriado permitir que os pais desistam de um bebê simplesmente depositando-o em um lugar, em vez de entregá-lo a um policial, a um bombeiro, ou a um funcionário de um hospital", disse.

Nos EUA abandonar um bebê é ilegal, mas as leis de “refúgio seguro” ignoram o aspecto criminal no caso de o bebê ser levado a um lugar seguro – ou for entregue nas mãos de outra pessoa. 

Michelle Oberman, professora de direito da Universidade de Santa Clara, especialista em questões éticas em torno da adolescência, gravidez e maternidade, considera que o principal problema das caixas é que esse tipo de iniciativa geralmente não atinge as pessoas que mais precisam delas. 

"É difícil dizer que é uma má ideia, mas parece um pouco errado", afirma. “Acho difícil imaginar que, imediatamente depois de ter um bebê sozinha no banheiro,seja esperado que você pegue um ônibus ou um Uber para deixá-lo na caixa.”

Fonte: BBC News Brasil 


Esta página teve 39 acessos.

(11) 4349-9983
cbio@cremesp.org.br
Twitter twitter.com/CBioetica

Rua Frei Caneca, 1282 - Consolação - São Paulo/SP - CEP: 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO - (11) 4349-9900 das 8h às 20h

HORÁRIO DE EXPEDIENTE - das 9h às 18h