24-09-2019

Código genético barato

O código genético humano possui cerca de três bilhões de pares das letras A, C, T e G – que representam bases químicas correspondentes ao genoma. O primeiro esforço para sequenciar tal código levou mais de uma década e custou bilhões de dólares. Hoje em dia, no entanto, o genoma de qualquer pessoa pode ser lido por cerca de US$ 1.000.

A tecnologia necessária para “escrever” o DNA passa por uma transformação semelhante: na última década, o custo de sintetizar um par de letras de DNA caiu de cerca de um dólar para menos de 10 centavos de dólar.

Apesar de facilitar o acesso, a popularização da técnica traz preocupações de natureza ética: se produzir genes “do zero” costumava ser trabalhoso e demorado, agora não é mais. E é por isso que as autoridades federais dos EUA consideram novas medidas para impedir que essa tecnologia, que está avançando rapidamente, seja usada ide forma indevida, por exemplo, para criar vírus ou armas biológicas perigosas.

Luxo 
Sobre o assunto à National Public Radio (NPR), Patrick Boyle, PhD em Biologia que trabalha para a empresa de biotecnologia de Boston Ginkgo Bioworks, explicou que “finalmente pode-se dar ao luxo de escrever esse código e muito mais”. 

Fala isso com conhecimento de causa, já que a empresa para a qual trabalha sintetiza milhares de genes por mês. “Estamos criando milhares de novos designs em um computador, imprimindo o DNA, vendo o que ele faz e depois repetindo esses designs”.

Patrick Boyle lembra que, quando obteve seu Ph.D. em biologia, em 2012, trabalhou com apenas algumas outras pessoas e conseguiu fabricar seis genes.

 “Hoje, nossa empresa sintetiza mais de 10.000 genes todos os meses", salienta. 

Fontes: National Public Radio (NPR) e Bioethics.net 


Esta página teve 20 acessos.

(11) 4349-9983
cbio@cremesp.org.br
Twitter twitter.com/CBioetica

Rua Frei Caneca, 1282 - Consolação - São Paulo/SP - CEP: 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO - (11) 4349-9900 das 9h às 20h

HORÁRIO DE EXPEDIENTE - das 9h às 18h